Please enable JS

Blog

Relembre os quatro maiores golpes online de 2020

Relembre os quatro maiores golpes online de 2020

12 de janeiro de 2021 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO

Golpes usaram promoções falsas pelo WhatsApp e Pix como isca, além de serviços muito utilizados na pandemia

Golpes online prosperaram mais uma vez no Brasil em 2020. Segundo um levantamento da Kaspersky, cerca de 360 mil novos arquivos maliciosos foram lançados por hackers todos os dias ao longo do ano. O aumento no número de incidentes foi de 5,2% em relação a 2019, ano também marcado por muitas ofensivas cibernéticas. O WhatsApp foi novamente um dos principais vetores de ataques, distribuindo links perigosos para milhões de usuários diariamente.

Além disso, criminosos se aproveitaram da transformação digital pela qual o brasileiro passou em meio à pandemia, aumentando as janelas de oportunidade para fraudes virtuais. A seguir, relembre os principais golpes na Internet durante o ano.

1. Golpes envolvendo o Pix

Liberado em 2020, o Pix foi amplamente utilizado para golpes mesmo antes do lançamento. O sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central foi principalmente usado como isca para atrair vítimas para armadilhas que não têm, na verdade, relação com o substituto do TED e DOC. No período inicial de cadastro de chaves, por exemplo, criminosos se aproveitaram da propaganda feita por bancos para criar páginas falsas de registro que serviam para roubar dados dos clientes.

A tática ganhou tração após o lançamento da novidade, em novembro, quando páginas falsas de bancos e fintechs se multiplicaram na tentativa de capturar número de conta, CPF e senha dos usuários. Além disso, hackers começaram a se aproveitar da crescente popularidade de QR Codes para trocar códigos exibidos em restaurantes e outros locais públicos por uma versão maliciosa que leva o usuário a um site perigoso.

2. Golpe do sorteio de streaming

O conhecido golpe do sorteio de streaming se espalhou pelas redes sociais em 2020. O golpe consiste em criar contas falsas no Instagram, Twitter e Facebook para divulgar supostas campanhas de distribuição de assinaturas gratuitas de serviços famosos, como Netflix e Globoplay. O usuário fisgado preenche um cadastro na tentativa de obter o streaming de graça, mas não recebe nada e só entrega suas informações aos golpistas. A suspeita é de que os dados podem ser comercializados na Internet ou utilizados em outros golpes mais na frente.

3. Golpe do delivery

O golpe do delivery se proliferou no Brasil no mês de abril, no auge do isolamento pela pandemia. Entregadores de aplicativo como iFood e Rappi foram acusados de enganar o cliente no ato da entrega, obtendo um pagamento maior do que o realmente devido pelo pedido. O truque consistia em mostrar o valor correto na tela do celular, mas esconder o montante real debitado do cartão por conta de uma maquininha com visor propositalmente quebrado. Além disso, em alguns casos, consumidores recebiam supostas ligações do restaurante solicitando os dados do cartão para quitar um pagamento extra que erroneamente não teria sido informado no ato do pedido.

4. Golpes no WhatsApp

Golpes no WhatsApp foram mais uma vez muito comuns no país no último ano. Em geral, eles se caracterizam por atrair o usuário com uma oferta tentadora para encorajar o clique em um link perigoso. A vítima pode cair em uma página feita para roubar dados do cartão de crédito ou simplesmente para interceptar informações pessoais que serão usadas em esquemas futuros.

Fonte: Techtudo

Posts relacionados

abc