Please enable JS

Blog

marketing-digital

Growth Hacking no marketing de conteúdo

18 de novembro de 2020 / Marketing / por Comunicação Krypton BPO

Um guia definitivo para Growth Hacking no marketing de conteúdo

Pesquise online e você verá artigos sobre growth hacking em todos os lugares. O único problema é que muitas vezes o growth hacking parece um conceito abstrato que somente as grandes empresas podem usar.

Isso não poderia estar mais longe da verdade.

Qualquer empresa ou site pode usar o growth hacking para crescer. Você sabe por quê?

Porque growth hacking é uma mentalidade, não apenas um monte de táticas usadas para melhorar sua taxa de conversão.

Se você está se perguntando do que se trata essa mentalidade e como usá-la, não tenha medo.

Como 93% dos profissionais de marketing B2B e 86% dos profissionais de marketing B2C usam o marketing de conteúdo como seu principal canal de aquisição, neste post, você aprenderá como funciona a mentalidade do growth hacking e como usá-la para sua estratégia de marketing de conteúdo.

Pense como um growth hacker

Vamos começar tirando isso da imagem: growth hacking não é “algo” que você faz, ao invés disso, é uma mentalidade e um processo que você implementa em um conjunto de táticas para atingir um objetivo específico. Portanto, se você quer ser um growth hacker, precisa pensar como um.

O que é growth hacking? Eu poderia dar todos os tipos de explicações e definições, mas o fato é que o growth hacking tem a ver com obter resultados.

Em vez de perder seu tempo pensando nas coisas e olhando para a “maneira certa” de fazer as coisas, como qualquer profissional de marketing convencional faria, você “hackea” seu caminho até obter os resultados desejados.

Os growth hackers no entanto, não são desorganizados quando se trata de “hackear” seus resultados. Os growth hackers pensam como cientistas:

  • Eles começam criando uma hipótese em torno de uma tática e objetivo.
  • Eles projetam um teste em torno dessa hipótese.
  • Eles fazem o teste.
  • Eles obtêm os resultados.

Se o teste falhar, eles aprendem e tentam novamente com um conjunto diferente de hipóteses.

Se funcionar, eles mantêm a versão vencedora.

Qualquer que seja o resultado, sempre que um growth hacker testa uma hipótese, ele aprende algo que o aproxima da realidade.

A chave para uma mentalidade de growth hacker, aquela que os separa de um profissional de marketing “regular”, é que eles usam o raciocínio indutivo. Deixe-me explicar.

A maioria dos profissionais de marketing usa o raciocínio dedutivo ao testar uma tática de marketing. Isso é:

Eles apresentam uma teoria de como as coisas funcionam, que pode ser baseada em “regras de marketing”, fatos ou definições técnicas.

  • Eles criam uma hipótese em torno dessas ideias.
  • Eles executam o teste e aprendem com base nos resultados.
  • Esse processo de pensamento não é ruim em si, é apenas ineficiente quando você é uma pequena startup e precisa obter resultados rapidamente. Se você escolher a hipótese errada, poderá perder muito tempo implementando uma tática e tentando desenvolver um canal sem potencial.

Como um growth hacker, você não tem o privilégio de tempo ou recursos. Você precisa entregar resultados rapidamente. É por isso que você precisa usar o raciocínio indutivo. Isso significa que quando você quiser testar uma nova tática, você deve:

Faça observações sobre quais conteúdos as pessoas compartilham e para os quais se vinculam.

Encontre padrões dentro dessas peças de conteúdo de sucesso (por exemplo, “os artigos que obtiveram mais compartilhamentos têm muitas capturas de tela”).

Atribua uma probabilidade de sucesso a esses padrões (por exemplo, “usar capturas de tela em nossos artigos tem uma probabilidade maior de obter ações”).

Crie uma teoria por trás desses padrões (por exemplo, “nossos usuários gostam de artigos com capturas de tela”).

Crie um teste para ver se esses padrões fornecem os resultados que você observou antes.

Antes de prosseguir, deixe-me dizer que esse processo não é tão científico quanto os que os verdadeiros cientistas usam na indústria de biotecnologia e similares. Em vez disso, é uma versão altamente simplificada desse processo de pensamento que você precisa usar.

Em vez de perder seu tempo para encontrar teorias para apoiar suas ideias, você joga a moeda e se concentra no que funciona e como pode replicar esses resultados.

Como você pode ver, essa metodologia é muito mais enxuta e iterativa do que a baseada em teoria usada pela maioria dos profissionais de marketing. Você faz observações, testa hipóteses e encontra novos insights que lhe dão uma vantagem sobre seus concorrentes.

Resumindo, como um growth hacker com foco no marketing de conteúdo, seu trabalho será:

  • Encontre campanhas de sucesso de sua própria empresa ou de seus concorrentes.
  • Encontre padrões de sucesso nessas campanhas que têm alta probabilidade de causar esse sucesso.
  • Crie um conjunto diferente de hipóteses com base nos padrões encontrados anteriormente.
  • Crie testes em torno dessas hipóteses para validá-las ou refutá-las.
  • Obtenha resultados que o ajudarão a aprender o que funciona e o que não funciona.

Se os growth hackers se concentram nos resultados, como você usa essa mesma mentalidade para suas campanhas de marketing de conteúdo? De acordo com um estudo do Content Marketing Institute, apenas 42% dos profissionais de marketing B2B dizem que são eficazes no marketing de conteúdo. Isso significa que há uma grande lacuna entre o que os profissionais de marketing de conteúdo desejam e o que eles alcançam.

Na próxima seção deste post, mostrarei três hacks que você pode implementar hoje para atingir dois dos três objetivos de sua estratégia de marketing de conteúdo.

Dica # 1: como obter mais tráfego com engenharia reversa

Sua estratégia de marketing de conteúdo pode se concentrar em muitos tipos de tráfego, incluindo referência, redes sociais ou e-mail. Mas, de acordo com Andrew Chen, um dos poucos que podem ser escalados é o tráfego orgânico. Se o seu site tiver autoridade de domínio suficiente, você pode esperar receber milhares, senão milhões , de visitantes por mês, graças ao tráfego gerado pelos mecanismos de pesquisa.

Para obter tráfego orgânico, tanto seu site quanto seu conteúdo precisam estar otimizados para os buscadores, principalmente o Google, que nos Estados Unidos tem uma participação de mercado de 63,8% .

Como Consultor de SEO, otimizar um site é tão simples quanto fazer duas coisas certas:

  • Otimize suas páginas mais importantes para uma palavra-chave principal com níveis de tráfego moderado a alto.
  • Atraia links internos para suas páginas mais importantes e para sua página inicial.
  • SEO não fica mais difícil do que isso. Como você pode otimizar suas páginas e obter links internos é a grande questão.

A primeira parte dessa equação, a otimização no local, merece um artigo separado. É por isso que vou me concentrar no segundo: links de entrada.

Os links de entrada ainda são um dos fatores mais importantes do algoritmo de classificação do Google. Você precisa atrair o máximo de links de alta qualidade para suas páginas por meio do uso de táticas de link building para classificá-los para as palavras-chave fornecidas.

Existem muitas técnicas de link building que você pode usar. O melhor, porém, é criar um ótimo conteúdo. Sim, eu sei que “ótimo conteúdo” pode ser um conjunto emocionante de palavras nos dias de hoje. Afinal, 76% dos profissionais de marketing B2B têm blogs. No entanto, como você já deve saber, a maioria deles não obtém nenhum resultado. É por isso que você precisa criar conteúdo que faça as pessoas quererem criar um link para ele e compartilhá- lo.

Para criar conteúdo de alta qualidade, você pode usar o raciocínio dedutivo típico usado pela maioria dos profissionais de marketing, que consiste em:

  • Ter uma ideia.
  • Crie.

Promova-o esperando que as pessoas se importem.

Como um growth hacker, você pode fazer melhor. Em vez de pulverizar e orar, você pode deduzir que o conteúdo que provavelmente terá melhor desempenho é aquele que já teve um bom desempenho antes.

Em outras palavras, se uma parte do conteúdo recebeu muitos compartilhamentos e links de entrada, isso significa que as pessoas acham aquele artigo (e o tópico que ele cobre) interessante. Se você recriar aquele artigo, poderá obter facilmente os mesmos resultados que o original obteve. Você também pode alterar o tipo de conteúdo e criar um infográfico, ebook, vídeo ou podcast com base na ideia do tópico do artigo de sucesso que você encontrou.

Para encontrar o conteúdo que teve um bom desempenho em seu setor, você precisa fazer a engenharia reversa de seus concorrentes. Para fazer isso, você precisa definir alguns recursos do que torna um conteúdo bem-sucedido. Existem muitos atributos que você pode selecionar, desde uma série de comentários a compartilhamentos sociais e links de entrada. Os dois últimos, entretanto, são os mais importantes.

As melhores ferramentas que podem ajudá-lo a fazer engenharia reversa de seus concorrentes são o BuzzSumo e o Ahrefs. O primeiro é uma ferramenta de inteligência do concorrente que o ajudará a descobrir quais artigos tiveram mais compartilhamentos em cinco canais de mídia social diferentes: Facebook, Twitter, Linkedin, Pinterest e Google Plus. Este último é uma ferramenta de SEO que pode ajudá-lo a encontrar palavras-chave, analisar os backlinks do seu concorrente, entre outras coisas.

Hack # 2: como obter mais compartilhamentos sociais

Apesar de não gerar tanto tráfego quanto a pesquisa orgânica, ter uma presença social pode ajudá-lo a trazer um tráfego consistente que complementa o orgânico.

Mas como você consegue mais tráfego social? Ter um plugin de compartilhamento social instalado e uma presença de Facebook e Twitter funcionando bem é um bom começo, mas não será o suficiente. Isso é muito dedutivo. “As pessoas compartilham conteúdo se têm oportunidade”. Boa teoria. Mas isso fará com que as pessoas compartilhem seu conteúdo? Na verdade, não.

As pessoas não compartilham conteúdo porque é fácil fazer isso. Se isso fosse verdade, você poderia colocar botões “Curtir” aleatórios ao redor do seu conteúdo e as pessoas compartilhariam seu conteúdo. Existe um motivo diferente pelo qual as pessoas compartilham qualquer coisa, e não está relacionado a nenhum plugin.

Jonah Berger, autor de Contagious: Why Things Catch On, explica que existem seis atributos psicológicos por trás do conteúdo viral:

Moeda social: as informações compartilháveis ​​que nos dão uma boa aparência têm a moeda social.

Gatilhos: pela definição de Berger, um “gatilho” é algo que é fácil de lembrar sobre um produto ou ideia, ajudando a garantir que permaneça na memória.

Emoção: se um conteúdo tocar uma de nossas emoções essenciais, como tristeza ou misericórdia, nós compartilhamos.

Público: se algo for público, pode ser compartilhado.

Valor prático: as pessoas compartilham o que é útil e relevante.

Histórias: as pessoas são contadoras de histórias inerentes, e todas as grandes marcas também aprendem a contar histórias. A informação viaja disfarçada de conversa fiada.

Não há como negar que, se você deseja obter mais compartilhamentos sociais para seu conteúdo, ele precisa ter o máximo possível desses seis atributos. Quanto mais tiver, maior será a probabilidade de se tornar “viral”.

No entanto, este artigo não é sobre teoria. Lembre-se de que este artigo é sobre como fazer o que funciona. Existem duas maneiras principais de tornar seu conteúdo mais viral.

Você já leu um artigo e encontrou uma pequena caixa que apresentava uma citação desse artigo e um link que dizia: “Clique para tweetar”? Isso é exatamente o que você precisa usar.

O “Click to Tweet” é um plug-in simples que você pode adicionar ao seu conteúdo que pode ajudá-lo a aumentar a moeda social do leitor, dar a ele um gatilho para compartilhar enquanto os ajuda a torná-lo público e dar valor prático aos seus amigos, tudo ao mesmo tempo . Além disso, você torna mais fácil para eles compartilharem no próprio artigo.

A chave para um “Click to Tweet” de sucesso não é apenas adicionar uma citação aleatória ou promocional, como “Este artigo é incrível! Confira: URL ” Que moeda social o leitor receberia se compartilhasse isso? Em vez disso, o que você precisa fazer é adicionar uma frase de efeito, algo memorável, curto e um pouco misterioso que o ajudará a dar o máximo de valor possível enquanto faz as pessoas quererem saber mais.

O segundo hack para obter mais compartilhamentos sociais é ainda mais simples do que o anterior. É tão simples que irei em frente e direi a você: na hora de criar conteúdo, use imagens. Eu não estou falando sobre banco de imagens. Não estou falando de fotos aleatórias da natureza também. Estou falando sobre gráficos e imagens personalizados que dão ao seu conteúdo mais contexto, mais relevância e uma experiência de leitura mais agradável.

Dica 3: como obter leads com ímãs de leads de alta conversão

Ao longo deste artigo, você aprendeu como atrair tráfego com SEO e mídia social. O marketing de conteúdo não envolve apenas tráfego. Como você aprendeu no início deste artigo, o marketing de conteúdo também pode ajudá-lo a atrair leads e convertê-los em clientes.

A questão então é: como você converte seus visitantes em leads? Existem muitas maneiras de convencer um lead a se tornar um cliente, mas só há uma maneira eficaz de converter um visitante em um lead: ímãs de lead .

Os ímãs de leads são conteúdos que você oferece aos visitantes em troca dos e-mails deles. Depois de fazer isso, você pode começar a “nutri-los” até que se tornem clientes. Alguns exemplos de ímãs de chumbo são:

  • Ebooks
  • Webinars
  • Lista de verificação
  • Modelos
  • Relatórios

DebtHelper, uma empresa de aconselhamento de crédito sem fins lucrativos, oferece uma “planilha de orçamento gratuita” para seus leitores. Isso é perfeito para o seu público, pois eles precisam de ajuda em relação aos gastos. Oferecer algo relevante e útil para eles provavelmente fará com que eles tenham uma taxa de conversão mais elevada.

A forma como a maioria dos profissionais de marketing de conteúdo aborda os ímãs de lead é, como sempre, dedutiva:

  • Eles definem o que as pessoas gostam.
  • Eles criam o ímã de chumbo.
  • Eles o oferecem na esperança de convertê-los.

Se você tiver sorte ou for inteligente, como o pessoal da DebtHelper, poderá converter uma quantidade razoável de visitantes em leads. Mas você não pode fazer negócios com a esperança de ter sucesso. Como um growth hacker, você só joga para vencer.

A maneira como um growth hacker cria um lead magnet é repetindo o mesmo processo do primeiro hack: você faz a engenharia reversa do que já está funcionando. Em outras palavras, você encontra algo que as pessoas já gostam, você cria um ímã de chumbo, você oferece. Simples, poderoso e eficaz.

Existem duas maneiras de encontrar ideias de alto desempenho para seus ímãs de lead:

Você pode analisar o que funcionou em seu próprio site e, em seguida, criar um lead magnet com base no que encontrar.

Você pode analisar o que funcionou para seus concorrentes e, em seguida, criar um lead magnet com base no que encontrar.

A primeira maneira de encontrar ideias para lead magnet é a mais eficaz, pois você está dando aos visitantes o que eles já gostam. Isso também tornará o processo de criação de conteúdo muito mais fácil para você, porque você precisará expandir o que já desenvolveu antes. Isso é uma grande economia de tempo e dinheiro.

Embrulhe para viagem

Se você foi um profissional de marketing durante toda a sua vida, este artigo pode parecer um pouco estranho e contra-intuitivo. Você tem pensado dedutivamente durante toda a sua vida, focando na teoria e na certeza.

Este artigo mostrou que há outra maneira de pensar sobre marketing. É uma forma que enfoca a realidade e a incerteza. Você se concentra no que funciona. Você se concentra no que seus visitantes e clientes dizem. Você duplica o que tem êxito e descarta o resto.

É assim que os growth hackers pensam. É assim que eles agem.

Agora é sua vez de dar o salto e começar a ter um growth hacker. Mesmo que você ainda queira respeitar a teoria por trás de suas ações, essa nova forma de pensar o ajudará a crescer mais rápido.

Fonte: Administradores

Posts relacionados

Cinco mudanças nas estratégias de entrada no mercado na economia pós-pandemia

Cinco mudanças nas estratégias de entrada no mercado na economia pós-pandemia

20 de novembro de 2020 / Marketing / por Comunicação Krypton BPO
Tecnologias que vão mudar a gestão do marketing e experiência do cliente

Tecnologias que vão mudar a gestão do marketing e experiência do cliente

19 de novembro de 2020 / Marketing / por Comunicação Krypton BPO
59% de usuários de redes sociais comprarão na Black Friday

59% de usuários de redes sociais comprarão na Black Friday

17 de novembro de 2020 / Marketing / por Comunicação Krypton BPO
Guia do SEO: como você pode alcançar a primeira posição no Google?

Guia do SEO: como você pode alcançar a primeira posição no Google?

13 de novembro de 2020 / Marketing / por Comunicação Krypton BPO
Reputação da marca: o poder de uma boa imagem

Reputação da marca: o poder de uma boa imagem

12 de novembro de 2020 / Marketing / por Comunicação Krypton BPO
12 otimizações de SEO para vender mais na Black Friday 2020

12 otimizações de SEO para vender mais na Black Friday 2020

11 de novembro de 2020 / Marketing / por Comunicação Krypton BPO

abc